Artigos Mais Lidos

Ato Falho

Ocasionalmente, conteúdos inconscientes driblam os sistemas de defesa e se manifestam.
Trata-se de um fenômeno corriqueiro conhecido como “Lapso Freudiano”, ou “Ato Falho”.

Palavras chaves: Freud, psicanálise, sistemas de defesa, ato falho, terapia holística

Labirinto da Mente - Arte: Henrique Vieira Filho

Ocasionalmente, conteúdos inconscientes driblam os sistemas de defesa e se manifestam. Trata-se de um fenômeno corriqueiro conhecido como “Lapso Freudiano”, ou “Ato Falho”. Palavras chaves: Freud, psicanálise, sistemas de defesa, ato falho, terapia holística

Síntese  e Exemplos de Lapsos Freudianos

Henrique vieira filho – terapeuta holístico

Esta postagem é um breve resumo; você pode acessar o Artigo completo clicando aqui

Ocasionalmente, conteúdos inconscientes driblam os sistemas de defesa e se manifestam.

Trata-se de um fenômeno corriqueiro conhecido como “Lapso Freudiano”, ou “Ato Falho”.

Palavras chaves: Freud, psicanálise, sistemas de defesa, ato falho, terapia holística


Ocasionalmente, conteúdos inconscientes driblam os sistemas de defesa e se manifestam.

Trata-se de um fenômeno corriqueiro conhecido como “Lapso Freudiano”, ou “Ato Falo”…

Ops, quero dizer: “Ato Falho” !

Claro que, quando de propósito, trata-se de uma piada. Aqui, a simulação “homenageia” Freud e uma de suas pautas mais polêmicas.

Outrossim, no contexto terapêutico, dizer uma coisa, quando se pretendia expressar outra, pode ser bastante significativo, expressando desejos inconscientes.

Não somente por meio da fala, este tipo de “equívoco” igualmente se manifesta na memória, em uma atuação física, por erros de leitura, de audição, distração de palavras…

Enfim, situações aparentemente “acidentais”, comumente atribuídas pelos leigos ao cansaço, à distração…

Freud deu a esse tipo contexto o nome de “fehlleistungen”, que se traduz como “atos falhos” e que é igualmente conhecido como “lapso freudiano” e parapraxia.

Por este meio, o desejo do inconsciente é realizado.

Nesta tese, nenhum gesto, pensamento ou palavra acontece acidentalmente.

Para o Pai da Psicanálise, o ato falho era como um sintoma, sendo que o desejo reprimido driblou os sistemas de defesa, encontrando como expressar-se, passando por cima do intuito consciente do indivíduo.

As parapráxias, tanto quanto os sonhos, são determinados por pensamentos inconscientes recalcados, aos quais negou-se outras formas de expressão.

Todos os tipos de casos de ato falho têm em comum, o fato de não serem frutos de mero acaso, pois estão a serviço de propósitos velados.

Se somarmos às teorias junguianas, ainda poderíamos considerar a Sincronicidade, ou seja, a “coincidência significativa” entre o “lapso” ocorrido e o que realmente a pessoa sente, pensa ou deseja, mas não se deu conta.

Na abordagem corporal de Reich e Lowen, de certa forma, podemos interpretar como “atos falhos”, os gestos, posturas, expressões faciais, tons de voz, olhares, que expressam intenções diferentes daquelas que o indivíduo conscientemente pretendia manifestar.

A intenção original passa por distorções, “deslocamentos”, sendo expressa de forma modificada.

Ainda assim, possibilita estabelecer uma ligação, por via associativa, com o conteúdo reprimido, até então, inconsciente.

Tal qual a interpretação dos sonhos e das associações livres, os “lapsos freudianos” são meios para auxiliar nossos Clientes em sua jornada de autoconhecimento.
Cabe ao Terapeuta Holístico ser o facilitador da interpretação dos atos falhos manifestos em terapia, ou trazidos a esta.

Sobre o Autor

Henrique Vieira Filho é artista visual, agente cultural (SNIIC: AG-207516), produtor cultural no Ponto de Cultura “Sociedade Das Artes” (SNIIC: SP-21915), diretor de arte, produtor audiovisual (ANCINE: 49361), escritor, jornalista (MTB 080467/SP), educador físico (CREF 040237-P/SP) e terapeuta holístico (CRT 21001).

http://lattes.cnpq.br/2146716426132854

https://orcid.org/0000-0002-6719-2559

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


Notice: ob_end_flush(): Failed to send buffer of zlib output compression (1) in /home/revistath/public_html/wp-includes/functions.php on line 5219