Artigos Mais Lidos
Conexão - Arte: Henrique Vieira Filho

Conexão Ao Sagrado E O Autocuidado

Reconectar o Sagrado é ativar a força da Shakti, portanto promover o Equilíbrio.

Celi Coutinho

Terapeuta Holística – CRT 21270

Palestra – Congresso Holística 2023
CRT – Conselho de Auto Regulamentação da Terapia Holística

Conexão - Arte: Henrique Vieira Filho
Conexão – Arte: Henrique Vieira Filho

INTRODUÇÃO

Shakti: o Poder de conexão Espiritual e das Emoções

Estamos num momento muito especial de nossas vidas, que exige uma compreensão com maior carinho das próprias emoções vivenciadas diariamente.

Hoje em dia, a paixão por ciência e a tecnologia estão nos fazendo pensar como máquinas.

Porém, o universo grita para que se volte a si mesmo, e assim, possa perceber com plenitude a própria essência, para que isto possa reverberar principalmente no outro e no ambiente de forma equilibrada.

Quanto mais negar em saber a verdade de si, mas distante de si mesmo estará.

A mente não entende as emoções, ela processa e pensa que tem de controlá-las, em vez de dominá-las.

Seguramente há uma grande diferença entre controlar as emoções com a nossa mente do que simplesmente dominá-las de coração aberto.

As emoções surgem de dentro do coração e indica a força do seu poder. Quando se cancela essa energia também estará cancelando a força vital. Portanto, o resultado é a mente executar as emoções sentidas como uma ordem de fato.

Atrás de cada emoção existe uma onda de força advinda da sabedoria Interna (O EU).

Este saber interno é movimentado pela a energia Shakti, ou seja, a energia primordial, denominada Mestre interior, de Eu superior, dando a impressão de ser algo distante do seu interior e não é. Esta energia é a própria Shakti, ou seja, sua Ser Divina. Isso não é palpável e sim sentido. É interno e vestido de você. E reside no coração. Por isso falar com o coração é o real caminho.

Portanto deixe as emoções sabotadoras saírem.

No final, você vai sentir que renasceu como uma lagarta, que uma vez estava rastejando através da sujeira e agora se transforma em uma borboleta que voa pelo céu.

As emoções negativas são a energia de transformação que está limpando e revelando sua verdadeira natureza espiritual.

Claro que isto demanda atenção e resiliência, para que possa substituir na mente o que há de negativo, para o positivo.

A força do pensamento é o que concretiza e realiza o que se sente.

Então muda o seu sentir.

Claro, há momentos na vida que não conseguimos fazer isso sozinho, mesmo sendo terapeutas.

Terapeutas se condicionam a cuidar do outro, usar sua percepção ao outro. E cuidar da sua energia para se restabelecer é o melhor caminho, principalmente, neste momento, que estamos atravessando.

Para isso, o método Terapia Ser Divina foi idealizado. Um método para inserir a força da Deusa, em cada ser que se propor entrar em equilíbrio.

Sintonize seus chakras para criar equilíbrio em sua vida

As emoções residem fisicamente nos corpos em um nível sutil,  os corpos se comunicam com as energias ao redor e certos impulsos energéticos geralmente se relacionam diretamente com uma determinada parte do corpo e os chakras que podem estar enfraquecidos ou desequilibrados.

Cada chakra representa uma lição de vida espiritual ou um desafio para ajudar a obter uma compreensão mais profunda de poder  pessoal  e  espiritual. Isso, por sua vez, ajuda o humano a aprender como superar obstáculos, liberar bloqueios emocionais e trilhar o caminho em direção à consciência espiritual.

1. Muladhara ou Chakra básico

Este é o primeiro chakra conhecido por vanos nomes: raiz, base ou Muladhara. “Muladhara” em sânscrito significa “raiz”.

A função deste chakra é manter com os pés no chão. É nele que estão enraizadas as crenças familiares, que apoiam ou apoiaram as primeiras formações de identidade e o sentimento de pertencimento.

A energia do Muladhara é o poder comunitário e familiar. Tudo depende da dinâmica familiar ou das necessidades básicas, como sentir-se seguro (a), apoiado (a) e provido (a), simboliza questões fundamentais: abrigo, água, comida e família.

Este chakra está associado ao elemento terra e está diretamente ligada às raízes que se planta e quão profunda, forte e favorável possam estar.

O Chakra Muladhara está Localização: No períneo Cor: vermelho/ roxo Mantra: LAM

Elemento: Terra

Lema de ação: “Estou sempre seguro no centro do meu ser”.

O Muladhara é a Base da Saúde Emocional e Mental. Se a estabilidade emocional e psicológica dentro da dinâmica familiar de sua infância era (e ainda é) harmoniosa, então você terá um Chakra Raiz equilibrado com fortes instintos de sobrevivência que podem suportar os desafios da vida adulta.

Vários desequilíbrios mentais são gerados a partir das experiências familiares negativas iniciais e podem causar mais interrupções nos chakras superiores quando este primeiro chakra está fora de sintonia.

O Chakra básico é o reservatório de reciclagem energética do campo áurico.

Problemas emocionais associados ao Muladhara podem ser traduzidos em desequilíbrios físicos e até adoecimento, caso tenha se sentido desprotegido e não amado dentro da comunidade de convivência. Isso pode incluir distúrbios relacionados ao sistema imunológico.

A lição do Muladhara Chakra é ter a força de vontade para se libertar da escravidão emocional que impede de conseguir encontrar a liberdade pessoal, caso contrário acabará carregando uma grande bagagem emocional através da carreira e relacionamentos futuros.

Como resultado, a visão do mundo real fica distorcida. Viver a vida pode se tornar assustador e instável porque as bases emocionais não estavam devidamente enraizadas dentro de você desde a mais tenra idade.

O poder do chakra básico: O Muladhara é lindamente assentado com poder do feminino terreno. É à base da vida e lhe estimula a prover e expressar amor físico e assim como o apoio àqueles que se ama.

Sinais de desequilíbrio no Muladhara Chakra:

Problemas esqueléticos decorrentes da falta de apoio do corpo coletivo familiar;

Distúrbios intestinais quando se torna incapaz de reciclar o desperdício emocional;

Problemas reprodutivos vêm de se sentir indigno de uma família amorosa;

O desequilíbrio do Chakra básico pode levar a pensamentos ou ações baseados em uma sensação de carência (ou seja, acumular, comer demais, etc.).

Estes desequilíbrios causam dificuldades emocionais decorrentes da incapacidade de se sentir fundamentado.

Equilibrar o Muladhara Chakra:

O melhor remédio é dançar. Dance ao som de um tambor, caminhe na natureza, plante sementes, sinta a lama entre os dedos dos pés e perdoe o passado.

Faça coisas que lhe faça sentir com os pés no chão.

Conecte-se ao seu primeiro chakra com os óleos essenciais abaixo.

O Chakra Básico simboliza o potencial de crescimento. Ao dominar as emoções intrínsecas para florescer, emerge-se da lama como uma flor de lótus.

Quando você encontra equilíbrio em seu Muladhara, você encontra equilíbrio em todos os aspectos de sua vida.

Para Equilibrar o Muladhara Chakra:

Aromaterapia: Cedro, Patchouly, Mirra;

Utilize 10 gotas de cada em 50 mi de óleo de amêndoa e passe na região do períneo e no púbis.

Tudo começa com o primeiro chakra.

2. Svadhisthana Chakra

O Svadhisthana ou Chakra energético é a segunda roda de energia e representa a energia criativa e sexual dentro do corpo.

O Svadhisthana Chakra está associado ao elemento água. Quando a água  vem à mente, imagina-se a fluidez, versatilidade e liberdade. O segundo chakra é apenas isso – é a capacidade de ser sexual, criativo, emocional e estar em sintonia consigo mesmo e com os outros.

Localização: acima do osso púbico e abaixo do umbigo

Cor: Laranja Mantra: VAM Elemento: Água

Lema e ação: “Eu fluo com os ritmos da vida”.

O Svadhisthana Chakra: O Segundo Chakra deixa de obedecer à autoridade da comunidade e da família e lhe permite descobrir relacionamentos e interesses próprios satisfatórios.

Este Chakra abriga a criatividade, os relacionamentos e a sexualidade. O foco principal é permitir que o indivíduo descubra o que gosta, formar hobbies, criar relacionamentos amorosos e emocionantes e até mesmo criatividade na relação sexual e erotismo sexual.

O que Svadhisthana Chakra ensina: A lição que o Chakra Sacral ensina é que todo relacionamento que se cria- desde o casual ao mais íntimo – tem um propósito, mesmo que seja doloroso, ajudará a se tornar mais conscientes de próprio carma e de si mesmo.

Por meio desta lição, lembramos que ninguém é perfeito – todos os seres humanos são lindamente talhos.

E que o carma existe para ser ressignificado e assim, transformá-lo numa nova lei de vida.

O Poder do Svadhisthana Chakra: O Chakra energético, Simbólica e literalmente, é o canal de nascimento. É a capacidade de gerar a vida que se deseja, de iniciar àquele projeto, um relacionamento equilibrado.

É ter a consciência do poder pessoal para fazer escolhas e  permitir  mudanças. É a sensação de estar fisicamente vivo e criar a vida que deseja.

Sinais de desequilíbrio no Svadhisthana Chakra: É nesse chakra que se projeta a vida que deseja. Portanto, é importante que não negligencie, este Chakra desequilibrado pode formar relacionamentos abusivos e controladores e causar bullying no local de trabalho, medo de abandono e perda de poder financeiro e criativo.

O desequilíbrio no Chakra energético pode se manifestar em baixa confiança, falta de motivação, incapacidade de criar conexões íntimas com outras pessoas, falta de interesse nos autos expressão ou habilidades artísticas, infertilidade, problemas urinários, dificuldades no parto, produção de orgasmos e baixa libido.

Como equilibrar seu chakra sacral:

Dance como se ninguém estivesse olhando.

Mantenha um diário para ajudar a se livrar de quaisquer emoções negativas e saiba que só você pode criar a vida e os relacionamentos amorosos que deseja.

Cristais para equilibrar Svadhisthana: Opala de fogo.

Aromaterapia para Svadhisthana: Sândalo, Jasmim, Ylang-Ylang, idem como acima, misture no óleo de amêndoa e ou de uva e massageia a região abaixo do umbigo.

3. Manipura Chakra

O Manipura ou Chakra do plexo solar é a terceira roda da energia e está associado ao elemento fogo.

Este chakra representa o poder pessoal, governa a autoestima, identidade pessoal, digestão e metabolismo.

Localização: A área do umbigo até o esterno pertence ao plexo solar.

Cor: Amarelo Mantra: RAM Elemento: Fogo

Lema de ação: “Eu mantenho meu poder pessoal”.

A energia do Terceiro Chakra, frequentemente referido como Plexo Solar ou Manipura, é a formação do eu independente – independente de comunidade que se vive e dos relacionamentos externos.

É uma personalidade separada de quaisquer características herdadas.

Aqui estão as principais características do chakra do plexo solar: O Manipura, ou Chakra do Plexo Solar, é a Conexão com o Eu, faz a mediação entre os dois primeiros chakras externos primários e o reflexo interno da consciência.

O primeiro chakra sempre ressoa com a força do grupo e tem um centro de gravidade externo.

O segundo chakra se concentra nos relacionamentos e em seu efeito externo sobre si mesmo.

A atração gravitacional do Terceiro Chakra começa a mudar, com apenas um foco parcial nas forças externas ao seu redor, e internaliza essas informações para melhor compreensão do Self. Este chakra trata de honrar a si mesmo, cuidar de si mesmo e formar uma voz intuitiva de dentro do “Ser”, que então se torna uma fonte natural de orientação.

O que o terceiro chakra ensina: Se não gosta ou não ama a si mesmo, sinal de que é incapaz de tomar decisões saudáveis ou encontrar força de vontade para seguir em frente sem medo. Isso lhe torna vulnerável ao controle e à manipulação de outras pessoas.

Pessoas com Manipura fraco têm baixa autoestima e, portanto, atraem relacionamentos e ambientes ocupacionais que reforçam ou refletem essa fraqueza.

O desafio do Chakra do Plexo Solar é ter força de vontade para fazer escolhas positivas que melhorem sua vida.

Sinais de desequilíbrio no chakra do plexo solar: Indivíduo que tem o Manipura desequilibrado luta com problemas digestório por causa da energia negativa estagnada que reside no estômago. Esse indivíduo tende desejar açúcares, como o chocolate, como substituto do amor, porque o Manipura direciona a energia para o pâncreas, órgão que equilibra os níveis de açúcar no sangue.

O desequilíbrio que se origina desse chakra se manifesta por baixa autoestima, medo da rejeição, sensibilidade às críticas e incapacidade de defender aquilo em que se acredita.

Veja como equilibrar o plexo solar:

Cristais: Topázio, Olho de Tigre.

Aromaterapia: Sálvia, junípero e Gerânio.

4. Anahata Chakra

O Chakra do Coração é a ponte entre os três chakras físicos e os três espirituais.

Ao equilibrar e alinhar os três primeiros chakras, o quarto chakra é capaz de se integrar e abrir. Assim, cada roda deve girar simultaneamente, mas em sentidos opostos para permanecer em equilíbrio.

O chakra cardíaco é a usina central do corpo sutil. Este é o ponto focal ou ponte que conecta os três primeiros chakras relacionados ao mundo externo aos três chakras superiores associados à intuição e espiritualidade.

O coração é o mediador entre o corpo e o espírito e determina diretamente sua força e saúde.

Localização: Centro do tórax (incluindo o coração, pulmões e toda a área circundante)

Cor: Verde. Mantra: YAM Elemento: Ar

Lema de ação: “Abro meu coração para viver plenamente”.

O Chakra do Coração incorpora uma sabedoria gentil que ensina os caminhos do amor. É neste quarto chakra que se começa a reconhecer que a energia mais poderosa da Terra é o Amor.

O chakra Anahata ressoa com as percepções  emocionais  do mundo. É o centro da inocência e da alegria infantil. Certamente quando era criança, costumava reagir às circunstâncias com uma variedade de emoções: confiança, compaixão, amor, esperança, desespero e medo. Mas, como adulto, é possível que gere emoções, e assim poder expressá-las tende a ser extremamente desafiador. O Anahata evoca a capacidade de amar e deixar     ir; aceitar os desafios emocionais e se render a um plano divino.

O que o chakra cardíaco ensina:

Curiosamente, o desafio do chakra cardíaco é muito semelhante aos desafios do Plexo Solar (o terceiro chakra), só que se comunica consigo num nível um pouco mais sofisticado e está sintonizado em uma frequência que incentiva a expandir o amor além nosso ‘Eu’.

Sinais de desequilíbrio no chakra cardíaco

Se este chakra estiver desequilibrado, um indivíduo pode sofrer de ciúme, incapacidade de perdoar os outros e até mesmo se tornar o agressor ou abusado nos relacionamentos, porque o amor é poder e algumas pessoas usam esse poder para controlar os outros.

O desequilíbrio físico de um Anahata fraco: Os medos primários que se formam em um chakra cardíaco desequilibrado, incluem medo de seguir o coração, solidão e questões de compromisso. Ao longo da vida, se cresce e deve desenvolver senso de amor próprio e, ao mesmo tempo, aprender a perdoar, ter misericórdia e ter esperança em no coração.

Esta é a força do Anahata – ter coragem de amar e mostrar compaixão por nós mesmos e pelos outros, independentemente das circunstâncias.

Como equilibrar o chakra do seu coração:

Medite sobre o amor e o perdão, porque eles andam de mãos dadas: amar é perdoar, perdoar é amar.

Cristais para equilibrar o chakra cardíaco: peridoto, quartzo rosa, kunzita.

Aromaterapia para o chakra cardíaco: rosa, melissa, néroli.

“No tantra, o chakra do coração é a casa do fogo divino. Tudo em nossas  vidas é alimentado por intenções do coração. Faz parte da jornada da alma experimentar o que fará nosso coração se partir – não pela metade, mas totalmente aberto”.

5. Vishuddha Chakra

O Vishuddha ou Chakra da Garganta é a quinta roda de energia e é o primeiro dos três chakras espirituais.

O quinto chakra representa sua capacidade de falar a verdade, de expressar ideias com clareza e estar em sintonia com suas intenções internas  e externas. Por ser o primeiro dos chakras espirituais, os quatro chakras inferiores também devem estar sintonizados.

Localização: Na garganta.

Cor: Azul

Mantra: HAM

Elemento: Ar/Éter

Lema de ação: “Eu sigo e falo a minha verdade”

O Chakra da Garganta está conectado à maneira como você expressa sua vida com a maior autenticidade. Trata-se de comunicar com seus pensamentos, sentimentos e intenções com clareza e precisão.

O chakra da garganta, também conhecido como Vishuddha, é o lugar onde se trabalha para expandir a voz e a força de vontade.

A sagrada verdade do Vishuddha é que cada escolha que se faz – cada pensamento, cada palavra e cada ação é um ato de poder que tem consequências em uma escala biológica, ambiental, social, pessoal e global.

Por exemplo: Se você decidir ficar em casa o dia todo assistindo televisão e reclamando disso, você está vocalizando que está insatisfeito com sua escolha, mas não tem força de vontade para fazer mudanças.

Em suma, seus pensamentos se tornam coisas, e este potencial de criação decorre do poder do Chakra da Garganta.

As principais características do Chakra da Garganta: O principal objetivo é ter consciência de seu poder pessoal e saber que ninguém fora de você tem poder sobre você e as escolhas que você faz. No entanto, esse poder pessoal de escolha (muitas vezes se refere como livre arbítrio) e é limitado à experiência humana.

E qual é o meu propósito?

É no Vishuddha que se começa a compreender o poder da fé, tendo fé em si mesmo e numa existência superior, e sabendo que embora tenhas o poder de fazer suas próprias escolhas, também tu és guiado por uma força existencial que abre portas e portais. O livre arbítrio dita que depende de si mesmo, por qual porta escolherás passar. Este é o próprio poder da criação – a energia se transforma em matéria como resultada das ações do chakra laríngeo, como a capacidade de pensar, de falar e visualizar.

O Chakra da Garganta equilibra  e  capacita:  Em  conexão com  a energia do Chakra do Coração, o Vishuddha expressa o amor nas coisas que você faz

– e também com é dito. Às vezes, recusar julgamentos e opiniões negativas sobre você ou outra pessoa é um dos maiores atos de amor.

O Chakra da Garganta simbolicamente ressoa com confissão e perdão. O ato de confessar um erro e dizer em voz alta: “Eu te perdoo” costuma ser um processo extremamente libertador e de cura. O perdão permite que qualquer culpa ou mágoa seja eliminada por meio do Chakra básico e, assim, permite que o indivíduo expresse, dê e receba amor abertamente.

O poder do chakra da garganta: Quando ele está em harmonia, afirma-se à vida uma maneira de como falar e expressar – comunicando amor e vocalizando uma apreciação por questões globais além da fixação de desejos egoístas.

Sinais de desequilíbrio no chakra da garganta

O medo primário do Chakra da Garganta é sentir como se não tivesse autoridade ou poder de escolha em sua vida. Muita das vezes se é levado a acreditar que não é capaz de ser líder do próprio destino e que se deve sucumbir às pressões sociais do que “deve ou não deve fazer”. Essa maneira de pensar leva a padrões de pensamento restritivos e opressivos, que acabam por resultar em bloqueios do Chakra da Garganta.

A deficiência dessa energia pode tornar a pessoa tímida, com medo de falar e insegura em comunicar seus desejos e necessidades.

Um Vishuddha hiperativo pode trazer uma persona dogmática, arrogante, uma natureza fofoqueira, falar e / ou reclamar excessivamente, e até mesmo uma incapacidade de ouvir os outros (ouvir também é um ato de comunicação).

Como equilibrar o chakra da garganta.

Ore, converse com a natureza, cante como se ninguém estivesse ouvindo, medite e comungue com o divino. Diga “Não” se algo não ressoar com você. Não tenha medo de verbalizar o que você quer e em que acredita ou quem você é.

Cristais para   equilibrar   o   chakra  da   garganta: topázio  azul, turquesa, crisocola

Aromaterapia para o chakra da garganta: lavanda, camomila, alecrim

De uma perspectiva psicológica o Vishuddha, permaneça claro e direto ao falar da verdade pessoal quando dizemos “Não sou feliz” ou “Este é quem eu sou!” Ao ativar o Chakra da Garganta, é abandonada a fachada do condicionamento social e se desperta para o verdadeiro potencial humano.

6. Ajnã Chakra

O Chakra do Terceiro Olho é a sexta roda de energia e representa nossa intuição ou sexto sentido. Sua localização entre as sobrancelhas é parte integrante de nossas vidas e de como percebemos o mundo exterior, bem como nosso próprio diálogo interior.

Localização: O espaço entre as sobrancelhas

Cor: Índigo Mantra: SHAM Elemento: éter

Lema de ação: “Eu sigo o caminho da verdade e da intuição”.

Aqui estão as principais características do Chakra do Terceiro Olho:

O Sexto Chakra – também conhecido como o Chakra do Terceiro Olho, o olho interno, ou “Ajnã” em Sânscrito – se correlaciona com as habilidades mentais, habilidades psicológicas e a capacidade de avaliar crenças e atitudes.

Situado entre os olhos e fisicamente conectado ao cérebro, à pituitária e às glândulas pineais, este é o chakra da mente.

Ele ressoa com a energia da psique, bem como com as tendências psicológicas conscientes e inconscientes.

Este é o chakra da intuição, sabedoria e o sexto sentido. Nas filosofias orientais, é conhecido como nosso ‘terceiro olho’ e o centro espiritual, que interage com a mente racional a fim de aprofundar o insight intuitivo para ver além do véu da ilusão que é chamado de “Maya”.

Abrir a mente e discriminar os pensamentos motivados pela força, medo e ilusão são desafios do Sexto Chakra.

É aprender a desenvolver uma mente impessoal e desapegar-se das ilusões físicas e mentais. Podem-se transcender os pensamentos, preocupações e medos para conhecer sua alma verdadeiramente de dentro.

O terceiro olho contém uma combinação única de fatos, medos, experiências pessoais e memórias que estão continuamente ativas na energia do corpo mental.

O Chakra do Terceiro Olho é a Verdade, decifrar se o que se acredita é verdade do que é genuinamente verdadeiro está no centro deste chakra.

Às vezes, uma memória negativa pode se manifestar como verdade para um indivíduo mais tarde na vida.

Por exemplo, se uma pessoa é levada a acreditar que é feia durante toda a sua vida, isso pode se manifestar como um fato dentro de seus padrões de pensamento e, como resultado, ela desenvolverá dismorfia corporal e baixa autoestima.

O simbolismo do Chakra do Terceiro Olho está adquirindo sabedoria além das suas percepções auto infligidas. Está quebrando estereótipos, vendo além da ilusão da mídia e alcançando o distanciamento das realidades sociais.

O poder do Chakra do Terceiro Olho está testemunhando sua liberdade além dos reinos da ‘ilusão realista’.

Em última análise, nada lhe está prendendo – é apenas a sua mente que tem poder sobre você e, se você puder controlar a mente, poderá então ascender às limitações que tem atualmente.

O que o chakra do terceiro olho lhe ensina, é que a morte não é nada a temer – é importante abraçar seu tempo nesta terra e então tudo que você faz é deixar seu corpo. A morte é apenas um portal para a próxima lição de existência.

A mente consciente é capaz de evoluir e se desligar da aflição e libertar o espírito do corpo, sem ter que suportar a dor. E esta escolha está ao seu alcance e de todos.

Sinais de desequilíbrio no chakra do terceiro olho: O principal problema com este chakra é a falta de vontade de olhar para dentro e desenterrar seus medos. Às vezes, temer em reconhecer a  verdade  faz  o  raciocínio  ficar turvo; temer críticas e os pensamentos de outras pessoas sobre si mesmo e temer o vosso lado sombrio e seus atributos.

Um sexto chakra equilibrado é ter uma consciência espiritual do movimento e da mudança, sabendo que existe um momento apropriado para fins e também para começos. É ter a habilidade de liberar velhos padrões de pensamento e abraçar o novo. Aqueles que não podem continuar a temer o desconhecido e, portanto, temem viver a vida.

Os pensamentos e atitudes desempenham um papel enorme na criação ou destruição da saúde do próprio corpo. A depressão, por exemplo, diminui diretamente o sistema imunológico e afeta a recuperação das células porque o corpo se comunica com a mente.

Pensamentos negativos, como raiva, amargura, ciúme e ressentimento, atrapalham o processo de reequilíbrio. Se reorganizar energeticamente requer que a unidade da mente, do coração e do corpo, também tenha a consciência de que o mundo físico – incluindo o corpo – existe para servir como um professor.

Se esse chakra ficar bloqueado, pode causar distúrbios do sono, dores de cabeça, pesadelos, depressão severa e arrogância espiritual.

Quando se conecta totalmente com o poder de dentro do Ajfía, retém-se a clareza mental e se torna capaz de ver além da mente e todos os seus desejos, anseios, preocupações, medos e julgamentos. Em seguida, entrar nos reinos do conhecimento, sabedoria e intuição.

O Chakra do Terceiro Olho é considerado o oceano de néctar nas escrituras orientais. Você está pronto para nadar em seu vasto oceano para alcançar um estado de iluminação?

Como equilibrar seu chakra do terceiro olho:

Medite e comungue com a verdade em seu espírito, reconheça quaisquer crenças auto limitadoras e entre em contato com sua orientação interior.

Cristais para equilibrar o chakra do terceiro olho: Lápis-lazúli, labradorita.  

Aromaterapia para ativar o chakra do terceiro olho: olíbano e manjericão.

7. Sahasrara Chakra

É o sétimo e último chakra. Ele representa nosso ser espiritual. Este chakra representa que você é um ser divino tendo uma experiência humana nesta Terra.

Ao trabalhar neste chakra, você está reconhecendo para si mesmo e para o mundo que está pronto para dissolver a separação, que está pronto  para se integrar com tudo e que está pronto para transcender o mundo físico para uma experiência mais espiritual.

Localização: Fora do corpo e pairando acima do topo da cabeça

Cor: Violeta ou Branco

Mantra: OM

Elemento: Energia Cósmica

Lema de ação: “Há apenas uma unidade divina”. Sintonize seus chakras para criar equilíbrio em sua vida

Quando os chakras estão equilibrados e girando sem esforço, a vida passa a ser bela. Experimenta-se uma sensação de plenitude em todos os aspectos: emocional, mental e físico, ou seja, a mente, o corpo e a alma trabalham em conjunto. Os relacionamentos, conversas, ações se objetivam e os interesses fluem.

Um sistema de chakras equilibrado pode ser considerado como água refrescante correndo por um riacho, acariciando suavemente tudo que encontra e continuando sua jornada com facilidade, graça e fluidez.

Quando os chakras estão desalinhados – um sendo hiperativo e outro subativo – a vida pode ser desafiadora. Esse desalinhamento pode não ser aparente na superfície, mas mergulhe uma ou duas camadas e você perceberá rapidamente onde está seu trabalho.

Em conexão com o corpo físico, o Chakra Coronário é o ponto de entrada para a força vital humana que se derrama abundantemente no sistema de energia do corpo a partir do universo maior. É essa força que nutre o corpo, a mente e o espírito e distribui essa energia por todo o corpo físico e descendo pelos chakras inferiores.

É por isso que ativar a energia Kundaliní e o Sushumna, Ida e Pingala (os principais nadis, ou canais de energia  do  corpo)  são  de  vital  importância. Não apenas estimula a energia da base a subir, mas também permitem que a energia do Chakra Coronário flua livremente ao redor do corpo e para os chakras inferiores.

O que o chakra coronário ensina: Tem a função de lembrar que em muitos pontos de nossas vidas, enfrentamos uma encruzilhada  onde precisamos deixar uma velha fase “morrer” para renascer novamente.

A energia do Sahasrara nos motiva a buscar uma conexão mais profunda com o divino em tudo o que fazemos.

As pessoas não devem confundir a conexão espiritual pessoal do sétimo chakra com a religião.

A religião está enraizada nos seguidores do grupo, sugerindo em números que estamos seguros.

A espiritualidade é uma experiência individual direcionada a liberar os medos do mundo físico e se relacionar com o divino e saber que o divino está em todos nós.

O poder do chakra coronário

O objetivo neste plano terreno é transcender todas as ilusões e descobrir o poder inato do espírito. Perceber que você é responsável pelo que se cria e, por sua vez, precisa-se aprender a agir, pensar e falar com amor e sabedoria ao longo da vida.

Lembre-se de que todos os obstáculos físicos e emocionais são apenas ilusões para aprender. Sempre busque o significado de qualquer situação, siga-o e então deixe ir quando não for mais relevante.

Como equilibrar seu chakra coronário:

Cristais para equilibrar o chakra: Celenita e safira azul.

Aromaterapia para o chakra: Ylang Ylang, pau-rosa.

Autocuidado E Reconexão

Não importa o seu gênero, todos nós temos energias divinas femininas e masculinas girando dentro de nós, trabalhando juntas para nos manter equilibrados.

Uma vez que o masculino divino assumiu seu trono em muitos de nossos estilos de vida estruturados de trabalho / alimentação / sono, é importante lembrar que você tem o feminino divino que precisa ser nutrido e tronado também.

Gosto de chamar essa energia de Deusa Interior, de energia Shakti, ou seja, a Ser Divina. Você pode pensar nisso como energia yin e yang também.

O masculino divino se parece com o sol: estrutura, energia de fogo, cores brilhantes e música vibrante.

O feminino divino se parece com a lua: fluidez, energia calmante, cores suaves e música suave.

O contato com esta energia feminina divina permite que você viva a vida guiado por sua intuição e esteja em perfeito fluxo com a magia absoluta do universo.

1. Pratique amor próprio e autocuidado

Pratique o amor-próprio e o autocuidado até ter uma crença verdadeira e fundamental de que você é absolutamente LINDO (A) por dentro e por fora. Ver a beleza absoluta em você mesmo (a) e em seu ambiente criando um relacionamento verdadeiro com o universo.

A verdade é amor!

Práticas saudáveis para integrar isso à vida diária podem parecer como se conectar com a Mãe Natureza, passando tempo ao ar livre ou até mesmo cuidando de alguns de seus próprios bebês de plantas.

 Você é um reflexo do que está ao seu redor, e isso é lindo.

2. Trate a todos como você deseja ser tratado

Trate os outros como deseja ser tratado – é claro, com amor puro como sua intenção. Explorar seus “sentimentos viscerais” (também conhecido como intuição) irá guiá-lo (a) para mapear suas ondas de energia positivas e negativas.

Isso permitirá que você se conecte com seus limites e conheça seu próprio fluxo perfeito de ser e viver. Deixe sua intuição feminina divina guiá-lo (a), não lute contra o fluxo e sempre faça o seu melhor para permanecer na frequência do amor.·.

3. Adorne-se

Todos os dias, vista algo que o faça sentir a sua “verdade” – o seu amor pela beleza saudável da Deusa Interior, por dentro e por fora.

Jóias, maquiagem, acessórios de cabelo, qualquer coisa que faça você se sentir “Eu sou uma Deusa”. Está tudo nos detalhes e a confiança é a chave!

Você homem também, se ponha cheiroso, barbeado, bem vestido.

4. Decore o seu espaço

Decore seu espaço – seu quarto ou toda a sua casa – de uma forma que permita uma submersão em VOCÊ.

Tudo o que você escolhe para colocar sua própria beleza, energia e verdade, é você.

Você escolhe colocar aquela pintura lá.

Você optou por imprimir aquela foto para pendurar porque você adora aquele momento.

Você escolhe os tons e cores com os quais deseja se cercar.

Compre um buquê de flores mágicas uma vez por mês para manter em sua cozinha e uma lembrança diária de beleza.

Reorganize tudo em seu quarto a cada temporada para manter a energia renovada (o).

O que faz você se sentir bem? Cerque-se com ISSO.

5. Crie rituais

(rit · u · ai: / adjetivo: (de uma ação) decorrente de convenção ou hábito.).

Estabeleça alguns hábitos que se igualem à sua versão de amor-próprio radical.

Seja uma rotina de cuidados com a pele, mimar-se uma vez por mês com algo que você deseja ou um banho de espuma planejado semanalmente – qualquer coisa pode se tornar um ritual para você!

Existe poder na rotina porque é uma maneira de permanecer firmado e pode ser um lembrete de que você merece o amor-próprio.

6. Passe algum tempo em torno da energia da Deusa Feminina Divina

Não há melhor maneira de se conectar com sua Deusa Interior do que estar perto de outras Deusas fazendo o mesmo.

Planeje encontros com seus melhores amigos, participe de encontros de deusa feminina divina para conhecer novas pessoas e compartilhe histórias com membros femininos da família ou mentores em sua vida.

Encontre sua própria versão de sua história e compartilhe sua experiência com o mundo ao seu redor.

Como parar de condenar e começar a comemorar todas as coisas nas e em MULHERES.

7. Busque o equilíbrio

Para cada Deusa Interior existe um Guerreiro.

Para conectar e / ou equilibrar o Feminino, é necessário equilíbrio.

Para encontrar uma harmonia perfeita desta forma, é necessário conectar-se e honrar um masculino divino SAUDÁVEL.

Uma deusa feminina divina não pode entrar totalmente em seu poder total, a menos  que  ela  tenha  praticado  a  integração  do  “ele”  em  seu  “ela”. Fazer isso de uma maneira saudável pode ser o mesmo que praticar a comunicação clara, estabelecer limites (não barreiras) e exercer sua verdadeira força de livre arbítrio humano.

Sintonize o seu verdadeiro caminho de alinhamento e aja (masculino) guiado por sua intuição (feminino).

Conexão Ao Sagrado Feminino

Libere a sua Deusa Shakti e abrace a sua energia feminina divina!

Liberar sua Shakti permitirá que você sinta-se poderoso (a), forte, livre e original.

Você pode começar de forma suave, fazendo uso de invocações em forma de rezo.

E, em seguida, construir um fluxo de intenções revigorante que lhe inspire a criar, dançar, fluir com o ritmo de sua própria inspiração livre em ser o que  você deseja ser, se revelando ao longo do caminho.

Diga essas frases sempre com o coração:

Eu honro a deusa dentro de mim. Eu honro meu ser Divino Feminino. Eu sou uma obra de arte.

Eu sou o fluxo infinito do oceano. Eu sou a na’tureza fundamental da Terra. Eu sou a alquimia ardente do fogo. Eu sou as forças do vento.

Eu sou o mistério do éter. Eu sou um reflexo do sol. Eu sou espelhado pela lua.

Eu sou sereno (a), mas intenso (a). Eu honro os ciclos que me cercam. Eu honro os ciclos denúo de mim.

Sou confiante, capaz e corajoso (a).

Eu honro a prática de dar e receber.

Eu mepennito ser delicada (o) e descansar quando for a hora certa

Eu acaricio as partes sensuais de mim.

Conforme eu desperto minha natureza intuitiva, minha frequência muda para o que eu desejo.

Eu alinho minha vibração com humanos que pensam da mesma forma que eu desejo.

Eu crio limites saudáveise me respeito ao ‘fazer isso. Minha jornada é diferente de qualquer outra. Eu sou único e especial.

Eu me amo completamente como sou.

Eu falo minha verdade que inspira outros a fazerem o mesmo.

Minha voz tem poder e minhas palavras são potentes. Eu vejo a beleza ao meu redor.

Eu vejo a beleza em mim.

Eu sou o Guerreiro e a Deusa e vivo na minha versão em perfeita harmonia.

Eu reconheço sincronicidades e momentos mágicos na minha vida cotidiana.

Estou ciente da consciência. Eu sou amor puramente amor. Eu sou leve, puramente leve

Para quê lançar mão de um método terapêutico?

Reequilibrar-se pertence ao autocuidado, nem sempre é possível reconhecer os pontos que estão em desequilíbrio e assim ficar apto para o autocuidado de forma solo.

Quando tomamos atitudes de higiene mental e ritualização e mesmo assim percebe-se que não entrou 100% ao eixo, necessita dar o braço a torcer e buscar por um método terapêutico.

Para isso eu tenho um método baseado no fluxo do caminho do sagrado feminino para cuidar de pessoas que já tem um desenvolvimento e entendimento da importância de ter o corpo energético em equilíbrio.

O método é denominado de terapia Ser Divina que possibilita um reencontro consigo mesmo e uma proteção do fluxo energético e restabelecimento do corpo espiritual.

Para quê um método que leve ao feminino desperto?

Simplesmente requer que estejamos abertos e disponíveis para atender o chamado.

Método de terapia que conduz ao reconhecimento da sua verdadeira Shakti e colocando-a (o) em sua raiz.

A terapia Ser Divina tem o foco no sagrado feminino é uma abordagem terapêutica que reconhece e valoriza a essência feminina em todo ser humano. Essa forma de terapia busca honrar e explorar a natureza única do feminino, bem como a conexão com o sagrado e o divino dentro de si.

O objetivo da terapia com foco no sagrado feminino é ajudar a reconectarem-se com sua sabedoria interior, empoderamento pessoal e autenticidade.

Essa abordagem terapêutica reconhece a importância da conexão com o corpo, a intuição, as emoções e a espiritualidade no crescimento pessoal. Ela visa despertar e fortalecer o poder interior, ajudando a cultivar relacionamentos saudáveis, nutrir sua autoestima, encontrar propósito e viver de acordo com sua verdadeira essência.

É a terapia que promove o ato de fazer com que se perca o eixo do racional-masculino para fluir no sentir- vivenciar = feminino que favorece a este eixo, com potência, permitido sem a fala, estar num fluxo meditativo ao  sagrado feminino o qual significa despertar a sua dança natural sem nenhum subterfúgio em toda a sua sacralidade.

Nos dias de hoje a meditação ao sagrado feminino de forma dinâmica é algo moderno que facilita a conexão destes saberes para o mundo prático sem racionalizar favorecendo para um mundo do sentir e esse processo não há como resgatar se não for dentro de um processo meditativo.

Não há uma abordagem correta e sim intuitiva e de religar com a conexão existente no corpo áurico ou registro akáshico de cada SER, que se propõem em reconhecer esta fonte dentro de si.

Quais os verdadeiros propósitos da terapia Ser Divina?

Encontrar harmonia vivendo consigo mesmo (eliminar e saber lidar com os problemas);

 Encontrar harmonia vivendo com o outros no mundo;

Libertar da ilusão e da ignorância – os causadores de insatisfação e sofrimento pra si mesmo e para outros;

Ser ativo no processo de transformação da vida-energia em vida­ consciência (realizar a consciência).

Auto realização- Realizar uma vida de Plenitude.

Quais os benefícios práticos de estar “desperto”?

Emancipação:

Física- sustentação transformação e concretização;

Emocional- mente poderosa;

Afetiva- desapego, manipulação da energia essencial;

Social- Harmonia;

Ambiental- Contentamento- Pró-atividade;

Mental- Paz / Amor altruísta- Alma;

Espiritual- Plenitude / Propósito Supremo- Consciência Cósmica

Como é o processo de despertar?

É um sistema de autoconsciência e autorrealização, num processo que apesar de sequencial, nos níveis mais altos tem suas fases acontecendo concomitantemente produzindo:

Autoconhecimento (mente sutil e supra sutil).

Favorecendo a compreensão dos problemas – os sofrimentos e

percepção da causa dos mesmos.

Compreender a solução (iniciação) e assumir a autorresponsabilidade (mente sutil e supra-sutil).

Realizar a solução (iniciação) e assumir a autorresponsabilidade (mente sutil e supra-sutil).

Transcender e caminhar para o começo da verdadeira essência

Ser proativo na experiência da vida-consciente

Conclusão

O propósito é reconhecer a força feminina dentro de si e facilitar o seu despertar para a essência de quem você realmente é, enquanto permanece totalmente funcional em seu corpo.

Despertando os Arquétipos de Iniciação Sagrado Feminino

São invocadas energias arquetípicas como portais para particulares para as iniciações, bem como para trazer o “equilíbrio” do que ainda está  na sombra. A sombra detém alguns dos nossos maiores recursos inexplorados. 

Os arquétipos são ativados pela energia Kundaliní.

Quando dizemos “sim” para uma jornada de iniciação, é quando automaticamente os cincos energias arquetípicas femininas serão ativadas, os véus que cobrem o mistério de quem realmente se dissolve, e a busca pela a verdadeira face é revelada. É o momento que o equilíbrio consciente se inicia trazendo poderes para “o despertar” do aspecto da Consciência do SER DIVINO.

No natural da vida, mesmo sem consciência, vivemos as fases de forma contínua espiralada através do círculo da vida em diferentes graus a cada dia.

Para tomar a força do trabalho de iniciação ao Sagrado Feminino é necessário coragem e vontade. Coragem significa “com o coração”, não necessariamente sem medo.

Podemos estar morrendo de medo e ter uma grande coragem. Disposição não exige que nós gostemos, simplesmente requer que estejamos abertos e disponíveis para atender o chamado.

Nos dias de hoje a meditação ao sagrado feminino de forma dinâmica é algo moderno que facilita a conexão destes saberes para o mundo prático sem racionalizar favorecendo para um mundo do sentir e esse processo não há como resgatar se não for dentro de um processo meditativo. Não há uma abordagem correta e sim intuitiva e de religar com a conexão existente no corpo áurico ou registro akáshico de cada SER, que se propõem a reconhecer esta fonte dentro de si.

 O método é dinâmico, é expressivo, é coração. Portanto, facilita a entrega à energia do ‘ poder’ (Shakti). A influência das músicas, em sua melodia elevará as vibrações, permitindo conectar ao eixo feminino essencial neste formato de meditação para serem conhecidas e automaticamente ressignificado.

Nos vários outros métodos poderá haver dispersão e enganos mentais, neste não, a mente não poderá mais interagir. Na terapia Ser Divina à conexão ao sagrado feminino acontece através do eixo da ‘energia’ da mãe terra, reconectando ao fluxo cósmico para a força interior,    o desenvolvimento mental e o crescimento espiritual, mas particularmente para o auto despertar ou autoconsciência  REVELANDO A ESSÊNCIA FEMININA

Referências

Espelho do Self- Cristhine Downing Animus/Anima- Emma Jung

EI poder serpentino -Sir John Woodroff (Arthur Avalon) Editora Kier

CHAKRAS – Centros energéticos de transformação. Harishi Johari – Editora Bertrand do Brasil

Meu próprio material apostilado destinado aos cursos do sagrado feminino e tantra.

Sobre a Autora:

CELI APARECIDA COUTINHO TERAPEUTA HOLÍSTICA- CRT 21270 Sou uma terapeuta ancestral  que leva em consideração a sabedoria e as influências dos antepassados.Eu entendo que carregamos em nosso DNA não apenas traços físicos, mas também memórias e padrões comportamentais transmitidos ao longo das gerações.Trabalho com a ancestralidade promaroa, antes das dores. E auxilio trazer à consciência essas influências ancestrais e auxiliio na cura de traumas e padrões limitantes.

Contato: https://celicoutinho.com.br/

Cite como

Celi Coutinho. (2023). Conexão Ao Sagrado E O Autocuidado. Revista TH, XII(79). https://doi.org/10.5281/zenodo.8150129

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *